História dos Prêmios

Antecedentes

Samuel Isaac Benchimol foi o grande pensador da Amazônia, sua morte em 2002 abriu um grande vazio na reflexão sobre a região. Essa ausência levou o então Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC) a estimular a discussão sobre o espaço continental amazônico e em 2003 idealizou o Prêmio Prof. Samuel Benchimol. Entre os objetivos principais do certame estava pensar a Amazônia em variadas dimensões, estimulando a criação e implementação de projetos para o desenvolvimento sustentável da região, visando o aumento da produtividade das empresas, exploração de recursos naturais sem impacto ambiental e melhoria da qualidade de vida da sua população.

Constituição do Prêmio

O Prêmio Professor Samuel Benchimol foi assim instituído em 2004, com o apoio da Confederação Nacional da Indústria (CNI), da Ação Pró-Amazônia, do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae) e do Conselho Federal de Engenharia e Agronomia (Confea).

A escolha do nome de Samuel Benchimol dignifica essa iniciativa. Em todas suas publicações, defendeu a importância da Região Amazônica no contexto do desenvolvimento nacional e a necessidade do desenvolvimento sustentável, respeitando o que ele definiu como os quatro paradigmas fundamentais para o desenvolvimento da Amazônia: ser economicamente viável, ecologicamente adequado, politicamente equilibrado e socialmente justo.

Hoje o Prêmio está sob a égide da Confederação Nacional da Indústria (CNI), das Federações de Indústrias da Região Amazônica e do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovações (MCTI) por meio do Instituto Brasileiro de Informação em Ciência e Tecnologia (IBICT).

Seu lançamento ocorreu no Estado do Amazonas, sob a presidência da Federação das Indústrias do Estado do Amazonas (FIEAM). Desde a primeira edição até hoje, foram mais de 3.000 (três mil) inscrições, totalizando 187 premiações divididas entre projetos e indicações, originadas de quase todos os estados brasileiros. Cada edição dos Prêmios gera de 5 a 10 empregos diretos e 30 a 50 empregos indiretos na sua realização.

Legitimidade do Prêmio

Para perenizar a legitimidade conquistada pelos Prêmios Professor Samuel Benchimol desde a sua criação em 2004 e garantir a manutenção das parcerias público-privada que foram conquistadas junto às empresas, às instituições, aos governos, às academias e às organizações não governamentais, constituiu-se  o Conselho de Instituidores dos Prêmios Professor Samuel Benchimol, como objetivo de assegurar a boa governança e a perenidade desta importante iniciativa. Realiza nos meses de junho ou agosto e dezembro, as reuniões de acompanhamento e de preparação das diretrizes orientadoras para o ano seguinte.

O Conselho de Instituidores é integrado por sete conselheiros corresponsáveis pela outorga anual dos prêmios. São integrantes do Conselho de Instituidores:

  • Dois representantes da Família Benchimol.
  • Um representante do Instituto Brasileiro de Informação em Ciência e Tecnologia (IBICT).
  • Um representante da Federação das Indústrias do Estado do Amazonas (FIEAM) (anfitrião).
  • Um representante da Federação das Indústrias do estado que coordena a edição anual.
  • Um representante da Federação das indústrias do estado que coordenará a edição seguinte.
  • Um Representante da Ação Pró-Amazônia da Confederação Nacional da Indústria (CNI).
  • O Curador dos Prêmios.

O Conselho de Instituidores convida como ouvintes até três das seguintes instituições para as reuniões semestrais:

  • Um representante do Banco da Amazônia.
  • Um representante da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Amazonas (Fapeam).
  • Um representante da Fundação Amazônia Paraense de Amparo à Pesquisa (Fapespa).

Regência e Realização

Os Prêmios Professor Samuel Benchimol e Banco da Amazônia de Empreendedorismo Consciente são regidos pelo Conselho de Instituidores e realizados pela Presidência Executiva.

  1. A Presidência Executiva é composta pelo Presidente da Federação executora, pelo Curador dos Prêmios e assessorados pela Comissão Organizadora.
  2. Cabe ao Curador dos Prêmios às atividades de articulação técnica, busca de patrocínios, divulgação e coordenação das Comissões, alinhado com as diretrizes do Conselho Instituidores dos Prêmios.
  • A Comissão Executora é responsável pelas providências relativas ao planejamento, acompanhamento técnico e financeiro e a realização dos Prêmios.
  1. A Comissão Organizadora é responsável pelo aconselhamento, divulgação e na identificação de entidades patrocinadoras.
  2. A Comissão Avaliadora é responsável pela avaliação e indicação técnica dos projetos inscritos na edição.
  3. A Comissão Julgadora é responsável por indicar os trabalhos agraciados em cada uma das categorias.

Modalidades e Categorias

As modalidades e categorias são partes integrantes do regulamento, as quais podem ser atualizados anualmente sob demanda do Conselho de Instituidores, Presidência Executiva, Curadoria ou membros das demais comissões.

Premiação

As informações sobre a premiação é parte integrante regulamento, a qual pode ser alterada anualmente sob demanda do Conselho de Instituidores, Presidência Executiva, Curadoria ou membros das demais comissões.

Todas as alterações na execução das edições anuais devem passar pela aprovação do conselho de Instituidores.

Realizadores

Os Prêmios são realizados anualmente nas Federações das indústrias da Região Norte de forma itinerante. Esta rotatividade é apoiada pelo Ação Pró-Amazônia, entidade sem fins lucrativos formada pelas Federações das Indústrias dos Estados da Amazônia Legal, com sede em Brasília. A entidade foi formada inicialmente pelas Federações das Indústrias dos Estados do Acre, Amapá, Amazonas, Mato Grosso, Maranhão, Pará, Rondônia e Roraima. Até 2019, as edições foram assim realizadas:

  • Federação das Indústrias do Estado do Acre (FIEAC): 2007, 2014, 2020/2021
  • Federação das Indústrias do Estado do Amapá (FIEAP): 2011
  • Federação das Indústrias do Estado do Amazonas (FIEAM): 2004, 2010, 2017
  • Federação das Indústrias do Estado do Pará (FIEPA): 2005, 2012, 2016, 2018
  • Federação das Indústrias do Estado de Rondônia (FIERO): 2009, 2015
  • Federação das Indústrias do Estado de Roraima (FIER): 2006, 2013, 2019
  • Federação das Indústrias do Estado do Tocantins (FIETO): 2008

Os anos de 2013 e 2018 comemoraram respectivamente os 10 e 15 anos do Prêmio Prof. Samuel Benchimol.

Público-Alvo

As propostas podem ser apresentadas por pessoas de todas as ocupações, de qualquer parte do Brasil e do exterior, esses últimos desde que estejam diretamente relacionadas formalmente com o desenvolvimento da Região Amazônica. São incentivadas as inscrições por parte de pessoas vinculadas a:

  1. Comunidade empresarial, seus representas, instituições de apoio ao desenvolvimento empresarial.
  2. Instituições de representação sindical ou profissional.
  • Instituições universitárias ou de pesquisa sediadas no País ou no exterior.
  1. Instituições públicas ou privadas com atuação no desenvolvimento sustentável da Amazônia.
  2. Instituições que tenham o objetivo de promover o desenvolvimento regional, nacional ou internacional.
  3. Empresas públicas ou privadas com investimento na Região Amazônica.
  • Autônomos com atividades referentes à Região Amazônica.

Documentos dos Prêmios:

Documento Base.pdf | Estatuto.pdf | Cartazes

Resultado julgamento